Se a sua pele não amar, devolva em até 30 dias.

Atualmente, esta seção não inclui nenhum conteúdo. Adicione conteúdo nesta seção usando a barra lateral.

Image caption appears here

Atualmente, esta seção não inclui nenhum conteúdo. Adicione conteúdo nesta seção usando a barra lateral.

Image caption appears here

Lab Riô entrevista: Carol Solberg, atleta profissional de vôlei de praia

  • 3 min ler

Convidamos a Carol pra um papo leve e descontraído sobre beleza, esportes e vida ao ar livre. Os trechos mais inspiradores dessa conversa, você confere aqui. Boa leitura!


Carol, você tem um estilo de vida super voltado à atividades ao ar livre. Conta pra gente um pouco sobre o que essa relação de conexão com a natureza representa pra você?
Para mim é fundamental estar ao ar Livre e em contato com natureza, é onde eu me abasteço e me renovo. O mar é o meu lugar mais sagrado, onde me conecto comigo mesma e literalmente lavo minha alma. Sou totalmente dependente do mar para estar completa.

Tenho uma relação de muita gratidão pela natureza, pois me benefício muito dela constantemente.

Com uma vida tão ativa e ao ar livre, como funciona a sua rotina de cuidados com o corpo e a pele? E em relação aos seus filhos?
Desde que comecei a jogar vôlei de praia minha mãe ficava no meu ouvido dizendo que só me deixaria jogar se eu me entupisse de protetor solar. Então desde uns 15 anos comecei a usar muito filtro antes dos treinos e jogos. Sempre tento usar viseira e quando aguento uso também uma blusa para treinar.

Nunca fui muito vaidosa e me preocupava simplesmente na parte da proteção solar.

Hoje em dia sou bem mais atenta, mas basicamente o que mudou nos meus hábitos é passar bastante hidratante e me preocupo também com uma boa limpeza com um bom sabão para o rosto e outro para o corpo. Minha pele é muito ressecada então tenho bastante atenção nesse aspecto.

Em relação aos meus filhos, o que mais me preocupa é sem dúvida o sol. Estamos sempre na praia e o sol que eles pegam hoje em dia é bem mais agressivo do que eu pegava quando criança, então não dá para dar mole, é uma questão de saúde.  

Existem rituais na sua rotina, que não podem faltar no seu dia?
Sim, não saio de casa sem passar protetor, sempre que chego dos treinos faço uma boa limpeza para retirar todo o protetor que ainda fica no rosto e faço uma boa hidratação no corpo inteiro.

Em tempos de filtros e procedimentos estéticos, o que é beleza pra você?
Acho que beleza é estar feliz com você mesma e com as pessoas que realmente são importantes na sua vida. Não tem nada que deixe alguém mais bonito do que quando está com aquela cara de felicidade. Claro que é legal se cuidar, estar saudável e fazer o que te faz sentir melhor, mas acho fundamental prestar atenção para não virar refém de um padrão de beleza imposto pela nossa sociedade.

Quem são as suas maiores referências e inspirações?
Minha mãe sem dúvida é minha maior inspiração, é a pessoa mais forte e generosa que eu conheço. Me inspiro demais na força que ela teve para criar quatro filhos, se manter como uma atleta de alto nível e fazer tudo isso com muita paixão e dedicação.

Do esporte pra vida: qual a maior lição que você aprendeu nas quadras, mas que aplica em outros âmbitos?
Acho que o esporte naturalmente te ensina muitas lições, principalmente na adolescência quando a gente está se formando. Mas a maior lição pra mim é saber na pele que a vida é feita de altos e baixos. No vôlei de praia temos muitos torneios importantes seguidos uns dos outros, numa semana você pode estar em primeiro lugar do pódio e no outro perdendo na primeira rodada, então não dá pra acreditar que esses resultados te definem. Isso quando se aplica na vida te fortalece muito pra encarar os reveses e principalmente para manter os pés no chão quando se está no topo.

Busca