Se a sua pele não amar, devolva em até 30 dias.

Atualmente, esta seção não inclui nenhum conteúdo. Adicione conteúdo nesta seção usando a barra lateral.

Image caption appears here

Atualmente, esta seção não inclui nenhum conteúdo. Adicione conteúdo nesta seção usando a barra lateral.

Image caption appears here

O que é hipoalergênico

  • 2 min ler

Conhece o ditado “é melhor prevenir do que remediar”? Ele tem tudo a ver com cosméticos hipoalergênicos. Vem que a gente te explica!

Por Riô Biocosméticos

Sabia que somos a geração mais contaminada de todos os tempos? Pois, é verdade!

Pra você ter uma ideia, uma pesquisa identificou que, em geral, a mulher usa por dia cerca de 12 produtos com 168 substâncias químicas diferentes. Já o homem usa cerca de 6 produtos por dia, com 85 substâncias químicas distintas.

Algumas dessas substâncias são comprovadamente tóxicas. Ao serem absorvidas pela pele, inaladas ou ingeridas, elas atingem a corrente circulatória e vão se acumulando no organismo. A longo prazo, podem causar problemas de saúde.

Conhece alguém que comeu camarão a vida toda e, de repente, ficou alérgico a ele? O mesmo pode acontecer com qualquer tipo de substância, inclusive as que estão presentes nos cosméticos.

Por isso, a prevenção é uma ferramenta importante. E é aí que entram os hipoalergênicos.

Cosméticos hipoalergênicos são aqueles formulados com ingredientes que possuem baixo potencial de desencadear reações alérgicas. Ou seja, os riscos são bem menores, o que torna o produto muito mais seguro de ser usado.

Quem determina se um produto é hipoalergênico ou não são os órgãos regulatórios. No Brasil, isso é feito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

No entanto, para que um cosmético esteja dentro dessa classificação, não basta simplesmente usar ingredientes com baixo potencial alergênico: é preciso comprovar. Pra isso, são feitas baterias de testes clínicos.

Os testes clínicos dos produtos hipoalergênicos

Para que os testes sejam aceitos, é preciso usar metodologias reconhecidamente eficazes.

No caso de produtos cosméticos, de higiene pessoal e perfumes, são realizados testes de contato. O mais utilizado é o de Irritabilidade Dérmica Primária, Acumulada e Sensibilização, mais conhecido como “patch test”.

Funciona assim: ao longo de pelo menos seis semanas, um grupo de voluntários utiliza vários pedacinhos de fita adesiva (o “patch”) que contêm um pouco do produto.

Durante esse período, são feitas avaliações que identificam se o uso contínuo e acumulativo daquelas substâncias gera reações de sensibilidade ou alérgicas.

Se não houver nenhuma reação adversa, o produto passou no teste e pode conter na embalagem os dizeres “hipoalergênico” e “dermatologicamente testado”.

As fórmulas da Riô Biocosméticos

Desenvolver fórmulas hipoalergênicas é uma condição primordial pra nós. Pra começar, não usamos nenhum tipo de corante. Também eliminamos ingredientes que, mesmo legalmente permitidos em determinadas quantidades, são tóxicos ou potencialmente tóxicos.

Ao todo, são mais de 1.500 substâncias que, apesar de muito utilizadas pela indústria cosmética, nós optamos por deixar fora dos nossos produtos.

Mas, cuidado! Alergia e sensibilidade são coisas diferentes.

Apesar de ambas serem respostas do nosso sistema imunológico e, às vezes, terem sintomas muito parecidos (vermelhidão e coceira, por exemplo), alergia cutânea é diferente de sensibilidade.

A alergia é uma reação sistêmica e se manifesta no corpo todo. Já a sensibilidade é uma reação localizada e acontece apenas na região que teve contato direto com a substância.

Quer saber mais sobre a sensibilidade da pele? Preparamos um verdadeiro manual pra te ajudar. Toque aqui pra ler!

______________

Vale lembrar que as informações deste texto não representam nenhum tipo de recomendação médica, nem substituem a importância de você consultar um dermatologista.

Busca